6 coisas que fizeram a diferença quando trabalhei na App Masters

Me chamo Matheus, tenho pouco mais de 4 anos de experiência com desenvolvimento de software e o Tiago Gouvêa me fez um convite, para eu falar um pouquinho sobre o meu tempo na App Masters e como foi minha experiência de trabalho dentro da empresa, e eu não podia recusar a oportunidade de “passar a palavra” de quanto foi legal trabalhar lá.

Antes da App Masters

Antes, eu queria contar um pouco do meu background como desenvolvedor e o que me levou a descobrir a App Masters, e posteriormente a trabalhar lá. Mas para isso eu teria que separar esse post em várias partes e você provavelmente não quer saber de toda a baboseira. Então vou me contentar com um resumo rápido mesmo.

Eu trabalhei em uns 4 lugares diferentes antes, desde empresas grandes a startups minúsculas que cresceram (você pode ver no meu LinkedIn. O resultado de todo esse tempo foi um monte de estresse acumulado a ponto de me fazer parar de gostar de programação.

Homem com raiva quebrando um computador

No meu emprego antes da App Masters eu tinha juntado uma grana e simplesmente me demiti e pensei em trocar de área, estava até fazendo cursos de modelagem 3D, “programação jamais” era o meu lema. Esse estresse todo foi causado por uma gama de fatores, mas em grande parte as maiores causas foram: pressão desnecessária; indiretas de chefes para forçar a trabalhar além do horário e nos finais de semana; mente fechada para resoluções de problemas, e além de tudo uma stack defasada.

Ninguém merece ver as tecnologias evoluindo e você não podendo utilizar essas novidades no trabalho por não serem compatíveis com o foco da empresa, ou muitas vezes até por medo da empresa de implementar algo novo. Mesmo que esse novo esteja representado por empresas grandes como por exemplo o Facebook, no caso do React.

Processo de seleção

Um amigo meu desde a época da escola, que agora também trabalha na empresa, que me mandou um link sobre uma vaga no Programadores em Juiz de Fora e me convenceu a tentar de novo. De início eu fiquei meio na dúvida se eu aplicava ou não, mas o processo seletivo da empresa pareceu ser um projeto divertido de fazer, eu não tinha muita experiência com React, então usei o projeto mais como uma ferramenta de aprendizado de React, e mandei ele mesmo assim. Vai que… Né?

E não é que foi?

Foi tanto que entrei para a empresa e não me arrependo nem um pouco. Tudo que eu sabia sobre empresa de tecnologia foi virado de ponta cabeça e tive uma das melhores experiências de trabalho. E tudo isso por conta dos fatores abaixo.

Várias tecnologias

Como eu disse antes: ninguém merece ver as tecnologias evoluindo e você não podendo utilizar essas novidades.

Na App Masters o pessoal era tão curioso quanto eu para testar as tecnologias novas. E se você não estiver conseguindo implementar muito bem, não tem problema, o Tiago cria uma tarefa de estudo pra você passar o dia inteiro experimentando para tentar entender como uma certa tecnologia funciona.

As vezes, quando não estão apertados com alguns projetos, todos ficam encarregado de tentar criar uma POC com a ferramenta para ver se ela é aplicável ou não no dia a dia.

Comunidade e open source

À medida que muita coisa fica sendo reutilizada entre os projetos, um framework aqui e outro ali acaba sendo criado para que seja fácil a inicialização de projetos novos e esses frameworks acabam sendo publicados como projetos abertos.

A App Masters tem alguns pacotes públicos no npm e no github que você pode utilizar e contribuir. E ao trabalhar lá, você pode acabar criando o seu próprio pacote!

Pessoas reunidas

A empresa sempre apoiou a comunidade local de desenvolvedores, sendo assim já apresentamos conteúdos em alguns encontros do Google Developers Group de Juiz de Fora.

Aberta a mudanças

De todas as empresas que eu trabalhei até hoje, a maioria tinham seus próprios padrões de código e arquitetura, sendo App Masters uma delas. A diferença é que em todas as outras empresas poucas mudanças eram realizadas nesses padrões. Algumas atualizações ocorriam sim, mas muito raramente, pois o medo de se adaptar para o novo sempre é grande.

Na App Masters por outro lado, a cada projeto novo foi dada a liberdade de mudar o padrão para atender melhor o objetivo do projeto. Claro que não dá pra mudar 100% tudo e virar as coisas de cabeça pra baixo. Mas a cada novo projeto era possível sentir que a arquitetura e os padrões haviam melhorado comparado ao projeto anterior. O pessoal entende que esse é um processo de iteração, que vai melhorando com o tempo. E que a nossa opinião é importante na construção desse processo.

Ambiente descontraído

A empresa que você trabalha tem uma bateria eletrônica? Duvido que que tenha.

Eu nunca me diverti tanto em uma empresa, as horas passavam rápido e nem via o final do dia chegar. Sempre que dá, alguém coloca uma música que contagia todo mundo e sem nem ver todo mundo já está batendo We will rock you na mesa. Conversas engraçadas, piadas do Tiago, curiosidades com o Baraky, não consigo nem listar todos as “cerimonias” divertidas que acontecem.

Pessoa tocando bateria eletrônica

A cada duas quintas-feiras, tem o “board game night”! Onde alguém (geralmente o Baraky) leva vários board games e ficamos jogando comendo pizza e hambúrguer (foto da capa do post). Tem algo melhor que isso? Só dois disso!

Pressão razoável

Pelo que eu estou dizendo parece tudo perfeito e nem parece que tem trabalho não é? Mas tem trabalho, e tem muito, e você será cobrado. Mas não se preocupe.

Felizmente não é nada perto da cobrança que eu estava acostumado em outros lugares. O Tiago Gouvêa (diretor) também é desenvolvedor, e ele também trabalha com a gente, então ele tem noção do que conseguimos fazer em quanto tempo. Você não vai ser cobrado para ficar até mais tarde ou para trabalhar no fim de semana para entregar algo.

Às vezes até quando eu queria ficar um pouco mais pra terminar uma coisinha, o Tiago recomendava ir pra casa e continuar no outro dia. Isso é bem inteligente na verdade, várias vezes eu resolvi um problema de uma forma muito melhor depois de ter ido embora e tentado novamente no dia seguinte. O reset ajuda bastante, e o que pode parecer improdutivo, pode acabar gerando mais frutos.

Clientes internacionais

O foco da App Masters tem sido trabalhar em projetos internacionais, e isso tem sido um prato cheio pra todo mundo da empresa. Poder praticar Inglês é muito importante pra qualquer dev, e você vai estar fazendo isso direto diariamente. Sempre é legal ver como que a tecnologia está movendo o mundo fora do país, e essa é uma oportunidade muito boa.

Mapa mundi com pins coloridos

Por causa desse contato, eu consegui praticar muito meu Inglês e ter acesso a uma oportunidade de trabalhar para uma empresa de fora. O Tiago Gouvêa me ajudou neste processo e literalmente me cedeu para uma empresa parceira no Canadá.

Não quero dizer que entrar na App Masters te dá uma vaga garantida fora do país. Mas sim, se não fosse por isso eu ainda estaria trabalhando na App Masters e ficaria provavelmente por muito mais tempo.

Enfim, eu poderia ficar aqui escrevendo mais motivos legais de se trabalhar na App Masters, mas se eu fizesse isso o post ficaria muito longo e você não teria lido até o final.

Matheus Assis

Tecnólogo em Sistemas para Internet que ama jogos, boardgames e programação. Uso o código pra brincar com o mundo, criando aplicações para todo tipo de propósito.

Posts relacionados